segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Tudo? ou nada ?

Não quero contar uma história aliás não sou escritor, não quero fazer poesia porque também não sou poeta. Aprecio as coisas da vida mas não as que me chamam a atenção, dou atenção aos pormenores mínimos que a vida me mostra, o que as pessoas mostram deveria ser secundário. Queres uma história? Posso contar-te. Mas não irá passar de uma história, porque querias ouvir? Para tentares esqueceres o teu livro? Não vou contar apenas me limitar a tentar expressar o que é a vida embora não saiba muito sobre ela. Aposto que muitas vezes te sentiste perdida numa floresta, tapada por árvores, sem teres caminho por onde sair. Aprende, a perfeição existe tens de a construir. Já erraste? Qual é a sensação? É má não é? É amarga e custa a passar. Se me conheces sabes onde me encontrar, mas se algum dia pensaste que podias brincar comigo então enganaste-te porque nesse dia eu não estarei mais aqui para ti. Sabes o sabor da vitória? Eu também sei, é perfeito mas mais uma vez a vitória não faz de ti uma melhor pessoa, assim como não me fez a mim. Corri para a frente e para trás sempre a levar com facadas nas costas no fim ergui-me e venci de que serve isso? De nada se não mudares o teu destino, corre mas não vás para longe porque um dia vou precisar do teu sorriso. Não vás para longe de mim porque sei que um dia virás a minha procura mas se me abandonaste então eu já não irei estar cá de braços abertos irei estar de mãos fechadas para ti com 7 pedras nelas. Acabar sozinho? Se calhar é esse o meu destino, são frases ditas em silêncio mas prefiro um olhar e um sorriso do que palavras. Quando achares que vou estar aqui estarás muito enganada, fugi, fugi de ti e da tua falsidade, estás confusa com o que escrevo? Mostra o que és mas não precisas de ser tão transparente como eu em tempos quis ser. Agarra o que tens agora ou então vais perder tudo.

Sem comentários:

Enviar um comentário