sexta-feira, 2 de março de 2012

Rosa desgastada eu, ou tu ?


A cada dia que passa cada petala cai, sem forças, sem cor, sem cheiro afinal sem nada.
perde o encanto, o brilo que o meu sorriso lhe deu.
Sim uma simples rosa que ao caminhar do tempo perde tudo o que um dia lhe pude dar enquanto deu.
Ela nunca quis morrer assim, ela nunca quis perder o encanto que sempre teve aos meus olhos mas infelizmente acabou por perder acabou por se desleixar e acreditar que a rotina dela seria nascer,viver e morrer é obvio que sim mas perdeu-se num lápise!
Agora que penso, estás como esta rosa.
Estás a desleixar-te, estar a ir por caminhos que não são os que eu conheci onde me fizeste caminhar, já parece que nem esses olhos brilham quando me vêem.
Já nada está igual ao começo.
Deves-te estar a perguntar o que é que a comparação da flor de uma simples rosa tem haver podias pensar mas eu explico.
Então tinhas um perfume que não se esquece, era um cheiro que permanecia, mas que como uma rosa o cheiro não dura para sempre.
Sempre que nos viamos brilhavamos, e agora? o brilho ? outra vez a rosa que se deixa de ser regada perde o brilho , desgasta-se tal como tu.
No meio disto tambem me sinto como se fosse a rosa, parece que aos teus olhos eu deixei de brilhar e eu já não sei para quem brilham os teus.
Perdi a noção do encanto do teu sorriso mas estou amarrado nele.
Será que ainda sentes o meu cheiro? Será que ainda me sentes? será que ainda vivo em ti ?
São tantas as tristezas mergulhadas e esquecidas que nunca se sabe o que esperar de alguem.
Talvez já naão seja eu a regar o teu jardim ou não és tu a regar o meu.
Sabes como é a chuva? estou assim como ela, sem cor, sem sentido.

A propósito se eu for a rosa ja desgastada eu não quero morar num jardim morto !

Sem comentários:

Enviar um comentário