domingo, 3 de julho de 2011

Combio da felicidade na tua ausencia


Acabo de parar, olhando o horizonte, o Sol bate no vidro com intensidade e encandeia, o motor ainda ronca quando o telefone começa a tocar.
Instintivamente e mesmo sem olhar para o visor sabia que eras tu, só podias ser tu!
Se apenas visses o meu sorriso conseguirias avaliar a felicidade que senti naquele instante, ao saber que te ia ouvir, que ia poder "matar" as imensas saudades que sinto de ti.

É impossível esconder que estes dias têm sido verdadeiramente infernais, a tua ausência é catastrófica, deixa-me "manco" com se tivesse uma prótese em vez da perna.
Fazes-me falta, porque me completas, porque me compreendes, porque me amas!

Não passa um instante em que não pense em ti, em que não sinta o desejo de tudo isto terminar, o sonho de te ter a meu lado e realizar o que ambos desejamos, mas não é ainda...

O tempo voa, não é verdade? Já passou um tempo desde a última situação semelhante e ao longo deste tempo apenas me senti mais apaixonado por ti, apenas te amo ainda mais e mais, apenas desejo viver o resto da minha vida a teu lado, acordar ao teu lado e contemplar o teu sorriso.
... apenas te desejo amar e amar, cada vez mais.

Preocupado contigo, com o teu bem estar, na esperança de que o telefone volte a tocar para te ouvir, na esperança de te ouvir dizer: «Sou Livre!!»

Saudade dos nossos momentos, de tudo o que vivemos até agora, saudade do que já conquistámos e do que ainda vamos conseguir conquistar... saudades de tudo o que te rodeia... saudades do teu espaço, da paleta de cores que diáriamente te "abraça", saudades de todos aqueles que te dizem bom dia ou boa tarde, saudades de quem te observou todos os dias, desde o segundo em que nasceste.

Meu amor, amo-te e quero amar-te ainda mais. Não quero perder nenhuma oportunidade de te dizer que te amo, e que sou feliz a teu lado, não quero perder o "comboio" da felicidade, tenho medo de te perder e nunca mais te encontrar.

Sem comentários:

Enviar um comentário