terça-feira, 12 de abril de 2011

Um dia


Um dia descobri-te no jardim sentada num banco de madeira


Num papel a escrever assim :


''Eu amo-te em segredo para não descobrires mas tu foges sempre do meu sonho do medo''


Mas um dia tu iras sorrir, irás dançar á minha volta sempre a riir.


Numa daquelas alegrias sem fim vais dizer bem alto ao mundo que e de mi que tu gostas e apenas de mim.


Noutro dia todos ficaram a saber que eu fui descuidado e sem querer deixei-nos aos 2 esquecidos


E tu ficaste maguada pelas desculpas que eu dei quando apareci muito depois.


Porque um dia marcaste um encontro comigo eu disse que ia mas acabei por não aparecer.


Mesmo assim continuaste a minha espera a ver as horas a passar só para me veres.


Nesse dia, senti-me tão só, peguei nas velhas molduras e sacudi-lhes o pó.


Sorriamos num tempo que já vai lá longe.


De todas as recurdações esta da minha memória já não sai.


Porque nesse outro dia na paragem de autocarro porque chovia eu vi-te a passar toda bonita e arranjada paraste para eu entrar no teu carro de brincar.


Porque hoje é dia de eu brincar lá fora


E eu á muto que queria estar contigo no jardim.


Descobrir.te e esconder-te, dizer que eu gosto de ti e no final da brincadeira dar-te uma flor.


E o mundo soube que lá fomos os dois no teu carro de brincar os dois á chuva pelo jardim a procura de jasmim que sempre foste tu em miim :$

Sem comentários:

Enviar um comentário