terça-feira, 19 de abril de 2011

Nunca chegou


Nunca bastou olhar as ondas e esperar o pôr do sol nem o brilho das estrelas.
Pois nada pode ser igual aos dias e ás noites que passamos abraçados.
Chegou a morte sentimental que acabou e me deixou desamparado.
Nunca bastou na vida as eternas alegrias que acabam numa simples poesia!

Sem comentários:

Enviar um comentário